QUEM MOVIMENTA O BRASIL, LÊ

HOME
Log Content

Flandres, portal logístico da Europa, abre as portas para o Brasil

A Flanders Investment & Trade é a Agência Governamental de Promoção Comercial e de atração de investimentos na Região de Flandres e oferece assistência e informação aos potenciais investidores sobre os benefícios e vantagens para as companhias brasileiras

A Região de Flandres, localizada no Norte da Bélgica, há algum tempo vem se destacando como agente com grande importância no cenário mundial, tanto político quanto econômico. Hoje, a região, que conta com uma área total de 13.522 km², população de 6,5 milhões e PIB per capita de 35,500 euros, é considerada o epicentro do poder de compra da Europa. 

Vale ressaltar que diversas ações, investimentos, além de empresas, instituições e órgãos ali instalados comprovam isso. Basta lembrar que Bruxelas, a capital da Região de Flandres, por exemplo, é sede da União Europeia e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN).

A Região de Flandres, à parte de sua indiscutível vocação política, destaca-se cada vez mais em diferentes aspectos econômicos e torna-se ainda mais um importante ponto estratégico para a logística internacional. Isso porque, Flandres é altamente eficiente quanto à multimodalidade e às infraestruturas disponíveis, apresenta constantes inovações voltadas à sociedade e destaca-se por ser uma região altamente produtiva e com mão de obra qualificada. O sistema de imposto merece destaque por ser amigável e os preços de imóveis são competitivos.

Possibilidades e atrativos para companhias brasileiras

As empresas brasileiras começam a observar este potencial e podem conquistar o mercado europeu por meio de Flandres uma vez que a localidade é o principal ecossistema de investimento da Europa. 

Dirk Schamphelaere, Adido Econômico e Comercial da Flanders Investment & Trade (FIT ), diz que Flandres, no norte da Bélgica, tem uma excelente infraestrutura logística, com modernos portos e aeroportos, excelentes conexões de rodovias, ferrovias e hidrovias com outros países europeus, uma das maiores concentrações de rodovias e ferrovias do mundo e a maior concentração de centro de distribuição da Europa (± 5 EDCs para cada 100 km²). Além disso, é responsável por 83% das exportações belgas – isso é explicado principalmente por causa da excelente infraestrutura logística que oferece.

Dirk Schamphelaere

O executivo afirma ainda que além da eficiente infraestrutura logística, fundamental para empresas que desejam conquistar o mercado europeu, Flandres está centralmente localizada perto dos principais mercados consumidores – em um raio de 500 km, você atinge 60% do grande poder aquisitivo europeu. Outro ponto importante de Flandres para as empresas brasileiras é a mão de obra altamente qualificada e poliglota, fundamental para ter uma equipe que venda para os outros países europeus no seu próprio idioma. 

“Também oferece custos imobiliários bem competitivos se comparamos com outras regiões europeias, além também de oferecer um atraente pacote de incentivos para as empresas se estabelecerem em Flandres, seja através de um escritório de vendas, CD, terminal, fábrica e centro de pesquisa”, conta Schamphelaere. 

Para as empresas que buscam um local estratégico para um novo projeto comercial, de qualquer tipo ou formato, Flandres oferece uma combinação de vantagens. Trata-se do bilhete de entrada para o mercado europeu. Os números demonstram a potencialidade. Com mais de 60% do poder de compra europeu situado em um raio de 500 km no entorno da região, Flandres é a porta de entrada ideal para as empresas brasileiras conquistarem o Velho Continente. 

A excelente infraestrutura e a proximidade com principais mercados consumidores e indústrias, como a região de Paris (França), Vale do Ruhr (Alemanha), a região de Londres e de Amsterdã-Randstad, possibilita que a empresa instalada em Flandres atenda seus clientes com grande rapidez. 

Schamphelaere costuma dizer que Flandres, apesar de ser uma região pequena é grande em desempenho. “No último relatório do Index de Performance Logística do Banco Mundial, a Bélgica (representada principalmente pela Região de Flandres), teve a melhor posição mundial na facilidade de organizar embarques internacionais e na pontualidade dos embarques, e a segunda melhor posição na competência dos serviços de logística, além de ter se destacado em vários outros índices tais como eficiência da gestão aduaneira e de fronteiras e na qualidade do comércio e da infraestrutura de transporte. Desta forma, o eficiente transporte de carga da região e a entrega pontual são fundamentais para as cadeias de suprimentos, pois elas são previsíveis e confiáveis, o que por sua vez, melhoram o desempenho geral da logística em Flandres.”

A facilitada mobilidade operacional se deve ao fato de a Região de Flandres possuir uma posição estratégica na Europa. De acordo com o World Trade Report, a Bélgica – e consequentemente a Região de Flandres – é um dos 10 principais países exportadores do mundo, e seus números de exportação per capita estão entre os mais altos de todo o mundo. Sua posição como um centro europeu a torna um dos principais importadores também. Além disso, Flandres como região é responsável por grande parte das exportações e também das importações da Bélgica – mais de 80%. Os principais produtos exportados pela região são minerais, veículos, medicamentos, produtos químicos e maquinário. A Alemanha, a França e os Países Baixos são os principais destinatários.

A estrutura logística como um dos grandes diferenciais

Mas não basta ter potencial logístico. É preciso investir em infraestruturas que atendam à crescente demanda. E nesse ponto, Flandres é mais uma vez destaque no cenário logístico mundial. 

Os Portos de Antuérpia e Zeebrugge são um bom exemplo de infraestrutura eficaz para as operações logísticas dos mais variados formatos. Os terminais, que atuavam de forma independente, firmaram um acordo e agora continuam a sua trajetória de crescimento sob um único nome: Porto de Antuérpia-Bruges.

O Porto de Antuérpia-Bruges é o segundo maior porto da Europa e tem fortalecido, cada vez mais, a sua posição como player global de importantes fluxos de carga. Com conexões a mais de 800 destinos em todo o mundo, o porto liga o continente europeu ao mundo – e vice-versa. Além disso, o porto acomoda o maior cluster petroquímico da Europa, é o maior porto para veículos, um dos principais portos de contêineres da Europa e é o 12º maior porto de contêineres do mundo (em TEU), manuseando 159 milhões de toneladas de contêineres por ano.

Terminal de contêineres

Com uma produção de 289 milhões de toneladas por ano, o Porto de Antuérpia-Bruges é um importante centro de comércio mundial. Sua localização central, amplas conexões com mercados globais e grande parte do interior europeu combinado com uma excelente infraestrutura tornam o porto com seus dois sites uma opção atraente para quem quer fazer negócios.

O Porto de Antuérpia-Bruges está estrategicamente localizado, próximo aos principais centros de consumo europeus e centros de produção. Também oferece um mix multimodal único para o transporte sustentável de mercadorias de, para e dentro dos locais portuários.

Ao todo, o terminal conta com uma área de 14.322 hecatares, com 1.400 empresas atuando no site. Em números, são € 20.817.500.000 de valor agregado direto e indireto ou 4,5% do GDP. O terminal atinge, num raio de 500 km, 60% do poder de compra da Europa. 

A operação eficaz se traduz no dia a dia. São 950 movimentações de barcas por semana, de 85 operadores de barcaças, 130 trens de carga carregados diariamente, de 15 operadores ferroviários, 1.000 km de oleodutos intraporto e 48 pipelines de produtos intraportos. Além disso, são 280 armadores e 200 terminais de contêineres.

Vale ressaltar, ainda, que o Porto de Antuérpia-Bruges, em linha com o Green Deal, pretende ser um porto neutro em termos de clima até 2050. Para isso, está trabalhando com vários parceiros interessados ​​em diversos projetos pioneiros. Assim, a meta é se consolidar na posição como um porto verde, o centro de energia para a Europa. 

Dirk Schamphelaere, Adido Econômico e Comercial da Flandres Investment & Trade (FIT), ressalta que o Brasil é o principal parceiro do porto na América Latina. Em 2020, por exemplo, o porto movimentou 283.000 TEUS e cerca de 5 milhões de toneladas do Brasil. O porto abriga o maior terminal de grãos de café do mundo sendo que muito deste café vem do Brasil. Quanto ao tráfego de contêineres, o Porto de Antuérpia foi o porto europeu que o Brasil mais enviou cargas em 2020, mais até mesmo do que o Porto de Rotterdam. 

“Com esta fusão entre o Porto de Antuérpia e o Porto de Zeebrugge, as empresas brasileiras podem contar um serviço de logística e operação portuária ainda melhores”, pontua Schamphelaere.

O porto unificado conta com 74.000 empregos diretos e 90.000 indiretos e, com um valor agregado de quase 21 bilhões de euros ou 4,5% do PIB da Bélgica, é de longe o maior motor econômico do país e será o maior porto de exportação europeu. O porto de Antuérpia-Bruges será também um porto líder de contêineres na Europa o maior porto de transbordo de veículos e o maior cluster químico integrado da Europa. 

O Porto de Antuérpia-Bruges tem a ambição de se tornar o primeiro porto mundial a reconciliar a economia, as pessoas e o clima. A fusão dos dois portos pretende reforçar ainda mais a sua posição na cadeia logística internacional, perseguir a liderança na transição energética e digital e, ao mesmo tempo, criar valor agregado sustentável para a sociedade em geral. Não só para a própria área de Antuérpia e Zeebrugge, mas também para todos os possíveis interessados no âmbito nacional e internacional.

O porto unificado irá focar nos pontos fortes de ambos os locais portuários e centra a sua estratégia nos contêineres, na carga geral fracionada, no tráfego roll-on/roll-off e nos produtos químicos. Mais do que nunca, o Porto de Antuérpia-Bruges desempenha um papel crucial nos principais fluxos de carga e reforça a sua posição como uma das principais portas de acesso à Europa. O porto unificado torna-se o maior porto de exportação europeu - com 147 milhões de toneladas/ano - o que o faz um ator mundial absoluto.

Conexão aérea com o Brasil

O aeroporto de Bruxelas por sua vez reforça ainda mais a vocação logística da Região de Flandres. Importante destacar que são mais de 100 empresas ativas no site aeroportuário.

Aeroporto de Bruxelas

A estrutura ocupa uma área de 130 hectares, conta com 147.000 m² de armazéns na área primária, 233.000 m² de armazéns na área secundária, 120.000 m² de pátio para a movimentação de cargas, 12 posições para aviões cargueiros e possui ainda diversos centros de armazenagens para produtos perecíveis e estruturas de estocagem com temperatura controlada. 

Ao todo, o Aeroporto de Bruxelas movimentou em 2021 843.000 toneladas de cargas. A localização central do aeroporto oferece um excelente ponto de entrada para o mercado consumidor da Europa Ocidental. A grande vantagem da Europa é que o ponto de entrada pode ser escolhido dependendo do ponto de entrada mais fácil, flexível e competitivo em custo para encaminhar remessas brasileiras para o resto da Europa e o Aeroporto de Bruxelas oferece tudo isso. 

Vale lembrar que os armazéns e processos do Aeroporto de Bruxelas são projetados para operações de trânsito rápidas e eficientes para diferentes tipos de embarques de carga aérea. O grande número de armazéns farmacêuticos especializados faz da BRU a maior comunidade farmacêutica de carga aérea do mundo certificada pela International Air Transport Association (IATA). Mais de 85.000 m² de instalações de armazém acomodam produtos Farmacêutico, Perecíveis, e-commerce, Animais Vivos, entre outros. 

Schamphelaere explica que da Bélgica ao Brasil as commodities mais populares são veículos terrestres, peças de máquinas, produtos industriais e, claro, produtos farmacêuticos. Mais de 1,2 bilhão de vacinas contra o Covid-19 passaram pelo Aeroporto de Bruxelas. Vacinas enviadas de armazéns locais ou vacinas vindas da China com conexão para o Brasil ou para outros países da América do Sul. Do Brasil à Bélgica, perecíveis (frutas e legumes) são muito populares seguidos por matérias-primas. 

“O Aeroporto de Bruxelas tem ainda muito orgulho de receber as aeronaves da companhia área brasileira Azul que transportam produtos perecíveis do Brasil para o mercado da UE via BRU”, comenta Schamphelaere.

Flandres proporciona operação integrada

Flandres abriga mais de 800 Centros Europeus de Distribuição (CEDs). A região, que possui uma média de cinco CEDs por 100 km², ostenta a maior densidade de CEDs da Europa. 

Armazém

Flandres possui uma excelente infraestrutura multimodal de alta performance com uma excelente interconexão. Oferece armazenagem para todo tipos de cargas, de perecíveis a produtos consumíveis, de produtos refrigerados a cargas de projetos, entre outros. Muitas das empresas de logística de Flandres são centenárias, especializadas em diferentes tipos de cargas, oferecendo serviços sob medida e de valor agregado ao seu cliente, de acordo com suas necessidades. 

“A região de Flandres respira logística. Além disso, há uma grande capacidade de armazenagem e novos armazéns são constantemente construidos. De acordo com a Cushman & Wakefield, os custos com aluguel para áreas de armazenagem em Flandres, são bem competitivos se comparamos com outras cidades europeias”, reforça Schamphelaere. 

Este fator não é surpreendente, pois Flandres tem uma das maiores densidades de rodovias, ferrovias e hidrovias do mundo. Em uma área de apenas 13.522 km2, Flandres tem 1.300 km de vias navegáveis, 1.700 km de trilhos ferroviários, 67.000 km de estrada (4,9 km por km²) sendo considerado o mais denso da Europa. Flandres possui uma densa malha rodoviária, ferroviária e hidroviária altamente conectada entre si juntamente com o modal aeroviário, com conexões tanto dentro da Bélgica como para os outros países europeus. 

Quanto às hidrovias, a região de Flandres está conectada aos três corredores principais da Rede Transeuropeia de Transportes (RTE-T): Corredor Mar do Norte-Báltico; Corredor Mar do Norte-Mediterrâneo; Corredor Reno-Alpino. Além disso, o Corredor Atlântico está interligado por meio dos rios Scheldt e Sena. Quanto às rodovias de Flandres, elas se conectam com as da França, Alemanha, Holanda e do Reino Unido utilizando ligações de ferry ou do túnel do Canal da Mancha. 

Além disso, completa Schamphelaere, outros diferenciais logísticos se destacam em Flandres e atraem as companhias brasileiras para a região. 

Ele menciona os vários estudos internacionais que destacam a Região de Flandres e a Bélgica como um importante centro logístico, como por exemplo, o estudo da DHL Global Connectedness Index de 2018, que colocou a Bélgica na quarta posição mundial dos países mais conectados; o Índice de Performance Logística do Banco Mundial de 2018, que a Bélgica ficou na terceira posição como o melhor local para se ter uma operação logística; o Relatório de Competitividade Global do Fórum Econômico Mundial que afirmou que a Bélgica tem a sétima melhor infraestrutura portuária do mundo;  e o estudo da Prologis Top Logistics Locations in Europe (2017), que apontou a Região de Antuérpia-Bruxelas como a terceira região mais atrativa para atividades logísticas.

“Por este motivo, muitas empresas brasileiras e estrangeiras acabam utilizando Flandres como base de suas operações comerciais e logísticas na Europa, porque de lá, de maneira rápida, eficiente e competitiva, você consegue atingir os seus outros clientes europeus”, pontua Dirk Schamphelaere, Adido Econômico e Comercial da Flandres Investment & Trade (FIT).

Todos estes benefícios e vantagens podem ser ainda mais explorados. A Flandres Investment & Trade é a Agência Governamental de Promoção

Comercial e de atração de investimentos na Região de Flandres e que oferece assistência e informação aos potenciais investidores brasileiros. https://corporate.flandersinvestmentandtrade.com/en


LOG CONTENT