Exportações de rochas ornamentais crescem quase 11% no 1º semestre

Números promoveram superávit na balança comercial do setor

5 de Agosto de 2022

Por: Redação

O setor de rochas ornamentais nacional registrou, no primeiro semestre deste ano, um faturamento total de US$ 634 milhões, evolução de 10,92%em relação ao mesmo período do ano passado. Os dados foram divulgados pelo Centro Brasileiro dos Exportadores de Rochas Ornamentais (Centrorochas), que prevê fechamento do ano com faturamento superior a US$ 1,4 bilhão. 

No ano passado, o setor fechou o ano com US$ 1,34 bilhão em faturamento. De janeiro a junho deste ano, o arranjo produtivo de rochas importou US$ 12,68 milhões, promovendo um superavit de US$ 622 milhões na balança comercial do segmento. 

“O aquecimento da construção civil mundial, o desenvolvimento de ações inéditas para o setor de rochas por meio do convênio setorial e ainda o investimento que as empresas do segmento têm feito em seu parque fabril podem ter contribuído para essa evolução. Mas é importante lembrar que esse número poderia ter sido maior, não fosse a guerra entre Rússia e Ucrânia”, explica o presidente do Centrorochas, Tales Machado. 

Outro ponto importante apresentado no primeiro semestre deste ano foi a evolução do preço médio dos materiais brasileiros, que registraram aumento de 15,04% em relação ao mesmo período de 2021. O arranjo produtivo de rochas, como vários outros setores, vem sofrendo com reajustes constantes nos fretes marítimos devido aos problemas logísticos em decorrência da pandemia e a desvalorização do dólar.  

Os Estados Unidos permanecem como principal destino para os produtos brasileiros, representando aproximadamente 57% de toda exportação nacional. Em uma análise mais minuciosa, excluindo os materiais brutos, os americanos se tornam ainda mais importantes, representando quase 74% do total de materiais acabados exportados. Seguindo o mesmo raciocínio, o mercado mexicano vem na sequência, com 5% de participação, e o Reino Unido em seguida, com cerca de 3%. 

Observando o comportamento dos materiais brutos exportados, a China segue sólida como o maior importador, consumindo aproximadamente 60% dos blocos de rochas comercializados pelo Brasil. Em seguida vem a Itália, com 29%. 

Espírito Santo (80,54%), Minas Gerais (11,45%) e Ceará (3,42%) foram os estados que puxaram as exportações nacionais no primeiro semestre deste ano. 

Tags: exportacao comercio-exterior importacao centrorochas rochas


ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MAIS POPULARES

Estrutura

Mercado Livre anuncia seu primeiro centro de consolidação na América Latina

Estrutura

Rodonaves Express inaugura unidade em São José dos Campos

Mercado

Letwe Innovation faz aporte de R$ 3,1 milhões na startup Gti Plug



LOG CONTENT