Automatizar o gerenciamento de armazéns é fundamental para ter lucro

22 de Julho de 2022

Por: Leopoldo Suarez

Muito pode ser feito para que o processo logístico tenha uma eficiência que gere lucratividade. E um exemplo prático é o gerenciamento automatizado de armazéns. Uma escolha para auxiliar quem trabalha na área de armazenagem é o WMS, sigla de Warehouse Management System (Sistema de Gerenciamento de Armazém). Trata-se de um software que mostra de forma rápida e organizada o status do depósito, permitindo a administração de todo o fluxo dos produtos que são movimentados (desde a chegada até a saída dos itens). A ferramenta auxilia na agilidade de processos e na redução de perdas.

Se essa etapa do processo logístico não receber a devida atenção, as consequências são perdas de tempo e lucro. Mas quando uma empresa decide automatizar essa fase da administração, o resultado é um ganho expressivo na eficiência da gestão de frete. 

Quem deve solicitar o WMS?

O sistema deve ser implementado por quem possui um armazém de grande porte ou precisa administrar muitos produtos em estoque. Mas, antes de optar pelo WMS, é preciso entender qual será o tipo de armazenagem. A gestão é diferente para Centros de Distribuição (CDs), e-commerce e armazém de produtos de terceiros. E o WMS é quase que obrigatório para armazenar cargas secas, contêineres e pallets.

Automatizar é um “caminho sem volta”. Cerca de 93% das empresas utilizaram algum tipo de gerenciamento de armazém, segundo aponta a Pesquisa de Operações de Armazém e Centro de Distribuição feita em 2018 pela revista Logistics Management. O estudo também atesta uma queda no uso de sistemas de separação em papel: enquanto 62% das companhias adotavam essa prática em 2017, em 2018 esse percentual recuou para 48%.

Geralmente, o WMS é incorporado quando a empresa percebe prejuízos expressivos com as perdas na entrada ou saída que ocorrem por conta da repetição de itens, atrasos e falta de comunicação em toda a cadeia. A tecnologia facilita o gerenciamento do processo logístico, pois o tempo de resposta é imediato e evita erros que podem gerar resultados negativos.

Benefícios do WMS

A KMM, empresa especializada em tecnologia para logística, começou seu trabalho com o desenvolvimento de WMS há 23 anos. Desde então, vem recebendo feedbacks positivos. Cerca de 22 clientes procuraram pelo WMS para reduzir problemas variados, e podemos listar cerca de 10 situações no dia a dia de qualquer empresa.

Entre ações que reduzem a produtividade, temos o controle de movimentações de estoque feito somente via planilha, sem que os dados estejam integrados a um sistema e sujeitos a rastreio. Consequentemente, a ausência de monitoramento pode camuflar alterações indevidas no armazém. A falta de visibilidade de estoque se alia à inexistência de dados fundamentais de controle como os percentuais de ocupação e disponibilidade do armazém. O excesso de papelada para a garantia da informação é improdutivo, assim como processos manuais em operações como entrada, saída e movimentações de produtos. 

Outros “ladrões de eficiência” são a falta de automação na alocação de produtos; o desencontro de informações do controle do estoque do cliente com o estoque próprio; a centralização de informações e envios manuais (via e-mail) ao cliente para atualização de estoque e inputs de operações.

E os resultados positivos da implementação do WMS? Podem ser resumidos como um ganho de eficiência operacional que “gira o ponteiro para cima” dos negócios. Pelo menos seis grandes mudanças são notadas assim que o sistema começa a ser utilizado. Primeiro, o cliente ganha muito mais veracidade sobre as informações das movimentações e estoque, bem como acesso em tempo real do estoque e operações de cada cliente. Aumenta-se o controle de perfis e acessos de usuários. O time do armazém passa a ser identificado e nota-se o aumento de produtividade individual e coletivo. 

A reestruturação de fluxo gerada pelo WMS reduz o tempo das etapas operacionais. Como todas as informações estão no sistema, o rastreio e acesso são mais eficazes. E a visualização em dashs (painéis visuais) e importações via templates facilitam a identificação de gargalos e aumentam o desempenho do time.

As vantagens estão em todas as etapas do processo de armazenagem. Há uma melhoria na acurácia, agilidade, gerenciamento operacional, aumento da produtividade, redução de erros, redução de custos e implantações de cronogramas. Tudo isso sempre acompanhado de respostas rápidas do sistema: basta uma rápida atualização no WMS para que o acesso aos itens esteja disponível na palma da sua mão. E é possível programar um alerta para que o funcionário seja avisado quando o estoque atingir o limite de escassez.

Ao automatizar os processos logísticos, a redução de perdas e aumento da lucratividade também se alia à sustentabilidade, pois sem papéis e com a movimentação mais inteligente dos ativos o resultado é uma redução nas pegadas de carbono de toda a cadeia. E em um meio competitivo como a logística, rever processos e optar pelas melhores tecnologias é essencial para manter os negócios se movimentando por muito tempo. 

Leopoldo Suarez, COO da KMM

Tags: logistica artigo gerenciamento kmm armaze


ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MAIS POPULARES

Estrutura

Mercado Livre anuncia seu primeiro centro de consolidação na América Latina

Estrutura

Rodonaves Express inaugura unidade em São José dos Campos

Mercado

Letwe Innovation faz aporte de R$ 3,1 milhões na startup Gti Plug



LOG CONTENT