Estudo

Totvs e H2R Pesquisas divulgam estudo sobre sistema de gestão

Índice de Produtividade Tecnológica geral do segmento apontou um cenário de baixo aproveitamento no mercado logístico

5 de Janeiro de 2022

Por: Redação

A Totvs conduziu junto à H2R Pesquisas Avançadas um estudo para avaliar o uso e o aproveitamento de sistemas de gestão integrados e tecnologias complementares no mercado brasileiro de logística. O Índice de Produtividade Tecnológica (IPT) geral do segmento apontou um cenário de baixo aproveitamento, em que as empresas entrevistadas registraram uma média de 0,38 pontos – em uma escala de 0 a 1, o que revela espaço para ampliar a digitalização e evoluir a transformação digital no mercado de Logística.

Ao todo, foram realizadas 740 entrevistas com empresas nacionais e multinacionais, com faturamento igual ou superior de R$ 5 milhões de junho a setembro de 2021. Entre as companhias ouvidas, 16% correspondem a prestadores de serviços logísticos (empresas cuja atividade principal está atrelada à gestão logística), sendo 9% transportadoras; 6% operadores logísticos; e 1% recinto alfandegado. Os outros 84% se referem a embarcadores (empresas cujo core business está em outra atividade, porém a gestão logística também é essencial), sendo 36% do varejo, 35% de distribuidores, 9% da indústria e 4% do agronegócio.Quando analisados separadamente, os subsegmentos apresentaram uma diferença no resultado do índice de produtividade tecnológica – os prestadores de serviços logísticos obtiveram 0,55 no IPT, enquanto os embarcadores registraram 0,35.

A diretora de Logística da Totvs, Angela Gheller, diz que é importante o setor como um todo se atentar à sinergia e à cooperação com a qual prestadores e embarcadores atuam, a fim de aumentar a eficiência produtiva do mercado de forma geral e reduzir o custo logístico das operações.

Para a composição do índice, a pesquisa avalia dois indicadores – a internalização desses sistemas, ou seja, o quanto essas soluções são utilizadas, se elas atendem aos objetivos da empresa e se o time está apto a usá-las, e o ganho de performance que essas soluções proporcionam aos negócios e às operações.

No que diz respeito à internalização do uso de ERPs e sistemas de gestão, o processo é similar entre prestadores de serviços logísticos e embarcadores. Ambos afirmam que sistemas e soluções ajudam muito ou totalmente nos objetivos das empresas e que os sistemas e soluções estão muito ou totalmente integrados. A diferença mais específica entre os públicos está no nível de customização dos sistemas, que é maior entre os prestadores de serviços logísticos.

Em relação à percepção do impacto do uso da tecnologia na performance dos negócios, a pesquisa observou que, a partir da adoção de diferentes sistemas de gestão, 88% dos prestadores de serviços logísticos e 83% dos embarcadores garantem que houve ganho de agilidade nos processos internos. Ainda sobre performance, para 84% dos os prestadores de serviços logísticos, o uso de sistemas garantiu conformidade com as normas regulatórias, enquanto para os embarcadores, o índice é de 74%.

Tecnologias por segmento

Já quanto ao uso de sistemas de gestão automatizados de transporte, os prestadores de serviços logísticos fazem alto uso para otimização e roteirização logística (70%) e integração de rastreamento (74%), enquanto os embarcadores apresentam uma proporção menor para os mesmos usos, com 50% e 47%, respectivamente.

A gestão de armazenagem chama a atenção na pesquisa de maneira negativa, já que apenas 53% utilizam dispositivos móveis na operação, somente 45% fazem uso de códigos de barras / RFID / BEACON e 37% possuem integração com hardware. Estas são tecnologias que merecem atenção do setor pela mobilidade e acuracidade que conferem aos processos logísticos, resultando em ainda mais produtividade.

O estudo revelou também as principais ferramentas de tecnologia logística utilizadas pelo mercado brasileiro, destacando a prioridade de cada subsegmento: pelos embarcadores são as tecnologias para coleta e entrega de mercadorias (50%), gestão de armazenagem (46%) e sistema de check list (40%); para os prestadores de serviços logísticos, por sua vez, as principais tecnologias são voltadas para monitoramento de frota (66%), gestão de transporte (TMS) (61%) e gestão de custos logísticos (60%).

 Tendência

Com o objetivo de oferecer um olhar para o futuro do setor Logístico, o estudo da Totvs também fez uma análise sobre como os embarcadores e prestadores de serviços logísticos estão se preparando tecnologicamente para as novas demandas do mercado e quais são as principais tendências de investimento dos players do setor.

Entre os embarcadores, 84% dos entrevistados registraram uma média de 0,27 pontos. As principais tecnologias que eles pretendem investir nos próximos dois anos são soluções em dispositivos móveis (68% - "totalmente e muito"), sistema de assinatura digital (59%) e na digitalização de processos em geral (61%). Os prestadores de serviços, 16% das empresas ouvidas, seguem a mesma tendência. Haverá um alto investimento em digitalização de processos em geral (70%), soluções em dispositivos móveis (67%) e sistemas de assinatura digital (61%).

Tags: transporte totvs logistica analise estudo embarcadores


NOTÍCIAS RELACIONADAS

MAIS POPULARES

JobLog

VetBR conquista certificação Great Place To Work

Mercado

Ações da Santos Brasil são listadas em mais três índices da B3

Negócios

NSTech anuncia a integração da Frete Rápido



LOG CONTENT